Ouvindo Life in Cartoon Motion – Any Other World

Boa noite!

Estive bem ocupada com os estudos e confesso que batia até um desânimo na hora de postar no blog. Mas aqui estou eu de volta. Hoje vou comentar Any Other World.

89104_1213647545156_full
Essa música é bastante melancólica e eu não consigo não ouvir, não importa o quanto eu esteja buscando algo mais animado para ouvir, nunca passo para a próxima quando meu player está em modo aleatório. Eu me sinto tranquila quando a ouço… Ela me envolve calorosamente e ao mesmo tempo me dá uma sensação de que nada nesse mundo faz o menor sentido, e é como se por um momento eu fosse transportada para outro mundo, um mundo até então desconhecido, mas ao qual eu sempre soube que pertencia. É como se a nave mãe vinda de um planeta distante viesse me buscar, risos.
Any Other World tem uma dualidade interessante e ao mesmo tempo perturbadora, ora conforta, ora enche o coração de amargura. É praticamente inexplicável.  No final das contas, a cada momento que eu a ouço, tenho uma sensação diferente.
A parte instrumental é simplesmente maravilhosa, com uma combinação perfeita entre piano, violino e violoncelo.  Tudo isso combinado ao terno vocal de Mika, torna essa música intensamente emocionante e viciante.  Às vezes, faz arrepiar os pelos de minha nuca, outras vezes, enche meus olhos de lágrimas.
Para encerrar a postagem, gostaria de deixar o vídeo de uma versão ao vivo um tanto diferente. Mika canta acompanhado de um belo coral. Vale a pena assistir.
Espero que tenham apreciado.
Beijos e boa noite!
Anúncios

Ouvindo Life in Cartoon Motion – Love Today

Boa noite!

Primeiramente, peço desculpas novamente pela ausência nos últimos dias. Estava em semana de provas na faculdade.  E pra animar essa noite de segunda-feira, nada melhor que Love Today.

0000372866_500

 

Love Today é, na minha opinião, a música mais marcante desse álbum. E não é a toa, já que a inspiração de Mika para escrever essa música foi sua primeira vez.

Mika afirmou durante entrevistas que compõe suas melhores músicas quando está apaixonado, e as piores quando está com o coração partido, ao contrário da maioria dos músicos. Isso fica muito evidente em Love Today, que é extasiante.

Eu diria que tanto a versão de estúdio quanto as inúmeras versões ao vivo dessa música são simplesmente geniais e incrivelmente bem trabalhadas em todos os aspectos.  Confesso que ela ainda não é minha preferida desse álbum, mas é sem dúvida simplesmente perfeita. Receio que nem tenha palavras para defini-la, o que de uma certa forma me deixa frustrada. Afinal, a postagem de hoje é dedicada inteiramente a ela e eu simplesmente não sei o que dizer.

Pensando na versão de estúdio e comparando-a com as demais músicas, Love Today é uma das que mais impressiona com os vocais. Aparentemente, Mika se permitiu um maior exagero nessa faixa.

Love Today é uma explosão de cores, de euforia e, claro, de amor! É apaixonante e, pensando bem, uma das poucas, senão a única do álbum cuja letra não tem aquele ar sombrio.

Beijos.

Ouvindo Life in Cartoon Motion – Grace Kelly

Boa noite!

Acho que eu estive sumida por duas semanas. Sentiram minha falta? Bem, hoje vamos de Grace Kelly.

mika-grace-kelly-2007-2

 

Eu acho que não há muito para dizer sobre essa música. Creio que graças a ela muita gente conhece o Mika. Eu sou uma dessas pessoas. Fico meio chateada por não ter tido vontade de conhecer mais sobre ele desde aquela época. Enfim, acredito que pra quem não conhece o Mika, a primeira coisa que se passa pela cabeça ao ouvir essa música é que esta fala sobre um amor não correspondido.  Mas, como vocês já devem saber, Grace Kelly é nada menos que um insulto à uma certa gravadora que queria que o Mika compusesse algo diferente, algo mais comercial “para ser colocado em sua prateleira”. E muita gente quebrou a cara tentando mudar o estilo de Mika e dizendo que ele não iria longe. Grace Kelly se tornou um grande sucesso.

Quando a música começou a bombar, praticamente todos os repórteres faziam a mesma pergunta nas coletivas de imprensa: “Por que você escreveu Grace Kelly?” “Você é obcecado por Grace Kelly?”.  Bem, na verdade, Grace Kelly representava um símbolo de perfeição para a avó de Mika, daí o título da canção.

Infelizmente, eu não consigo falar de Grace Kelly sem falar em Simon Phillip Cowell. Pois é, Simon foi um dos que rejeitaram Mika e, provavelmente, é seu maior desafeto. No documentário do DVD Life in Cartoon Motion, Mika comenta que uma revista escreveu uma página inteira sobre a guerra entre Mika e Simon dizendo que Mika escreveu Grace Kelly para o Simon. “Eu não escrevi Grace Kelly para ele. Eu jamais daria essa honra para ele!”, afirma Mika bastante aborrecido.

No mesmo documentário, Mika brinca com sua banda perguntando se um dia ele conseguirá fazer um show sem Grace Kelly na lista de execução. A resposta é unânime e quase instantânea: “Nunca!”. E não é que eles estavam certos? Me corrijam se eu estiver errada, mas até hoje isso não aconteceu . Quem sabe após o lançamento do 4º álbum isso não mude? Hum… Acho que não!

Beijos.

 

Ouvindo Life in Cartoon Motion – Lollipop

Boa noite!

Antecipei essa postagem para quinta-feira, pois minhas aulas voltaram e esse é o único dia da semana no qual chego mais cedo em casa.

Vou falar de uma música da qual eu não gostava e hoje é uma das minhas preferidas do CD: Lollipop. Creio que comecei a gostar dela após ouvir uma das versões ao vivo, pois confesso que nem sempre tenho paciência com a versão de estúdio, na qual Mika não explora muito seu vocal.  Além do mais, demorei um pouco para prestar atenção na letra. Houve uma certa birra, não gostei e ponto final. Algo que adoro em Lollipop é o fato de que Mika reinventa constantemente a versão ao vivo, tornando-a cada vez mais frenética.

lollipop

Mika compôs essa canção após receber uma carta de sua irmã caçula, Zuleika, na qual ela dizia que gostaria de ter relações sexuais. Mika não queria que ela se apressasse em ter sua primeira vez, pois os rapazes veem o sexo de forma diferente das garotas. Algo que chama atenção é o fato de que praticamente todas as músicas que tem adolescentes como público alvo, fazem alusão ao sexo incentivando os jovens a praticarem, e Lollipop é exatamente o contrário.

O contraste entre letra e melodia é muito divertido, pois não é o típico alegre com o sombrio e sim algo como infantil com malicioso.  Se você não prestar muita atenção, Lollipop soa incrivelmente infantil. É o tipo de música que faria sucesso em festas de aniversário de crianças pequenas. Por outro lado, o próprio nome da música é sugestivo e o refrão é ainda mais. Algumas pessoas podem dizer que eu quem estou sendo maliciosa ao fazer essa afirmação, afinal, a malícia está nos olhos de quem vê. Creio que é isso que torna a canção tão interessante. Há pessoas que nem sequer dão atenção à letra enquanto outras ficam boquiabertas com o refrão, pois logo percebem a metáfora. A parte ruim é que, para os mais desatentos, Lollipop parece só mais uma música maliciosa de mau gosto.  Mas apesar das palavras escolhidas, a mensagem é positiva. Talvez nem tão positiva assim, quem sabe não é só um discurso de irmão mais velho ciumento? De qualquer modo, é impossível negar que essa música é uma das mais divertidas de todas e me atrevo a dizer que a intenção era exatamente essa.

Boa noite!

Ouvindo Live in Cartoon Motion – Relax, Take it Easy

Boa noite!

Vou fazer algo um pouco diferente aqui no blog nos próximos dias. Ainda não decidi se farei diariamente ou semanalmente. Enfim, a ideia é comentar todas as músicas dos álbuns de estúdio do Mika. Começarei de Life in Cartoon Motion. Não pretendo seguir a ordem do CD, então começarei com Relax.

relax

Relax não é a minha música favorita no LICM, mas eu tenho muito carinho por ela por uma razão que talvez seja compartilhada pela maioria dos fãs de Mika: quando estou triste, não importa o motivo, essa música tem o poder de fazer com que eu me sinta melhor instantaneamente.

A música que tem elementos de  (I Just) Died in Your Arms de Nicholas Eede é muito interessante. Como tudo nesse álbum, a letra é bastante contrastante com a melodia. Se você reparar na primeira estrofe, verá que ela é altamente depressiva, forte. Chega a dar desespero.

“Took a ride to the end of the line 
Where no one ever goes. 
Ended up on a broken train with nobody I know 
But the pain and the longing’s the same. 
Where the dying 
Now I’m lost and I’m screaming for help.”

Quando estou depressiva, acabo me deparando com a situação na qual me encontro no momento em que ouço.  A melodia de início não contrasta muito, pois é um pouco fria. A música então vai evoluindo de maneira a ficar alegre e, dependendo do ponto de vista, até dançante.

A conclusão da letra com o refrão é bastante realista mas não tem nada mais sensato pra se ouvir quando se está nervoso com alguma coisa.

“Relax, take it easy 
For there is nothing that we can do
Relax, take it easy 
Blame it on me or blame that on you. “

E por fim, a estrofe mais reconfortante da música, que é o que te lembra que não importa o tamanho do seu problema, você nunca está sozinho.

“Relax 
There is an answer to the darkest times
It’s clear we don’t understand but the last thing on my mind 
Is to leave you. 
I believe that we’re in this together. 
Don’t scream – there are so many roads left”

Pra concluir, diria que essa música começa cinza, mas no final é multicolorida. Viajando um pouco, arrisco-me a compará-la aos filmes do Mágico de Oz.

Letra: http://www.vagalume.com.br/mika/relax-take-it-easy.html

Beijos.

A Origem do Meu Amor por Mika

Apesar do título, esse post não fala exatamente de amor. Fala sobre atração física ou talvez amor platônico.

A ideia pra essa postagem surgiu de uma citação que o apresentador do programa El Hormiguero fez durante a última entrevista com o Mika. Ele fala sobre um estudo neurológico muito interessante que afirma que a origem do amor é a memória. Que quando somos crianças, armazenamos na memória fragmentos de tudo que gostamos e esses fragmentos formam um quebra cabeça. Quando crescemos, nos apaixonamos por alguém que complete esse quebra-cabeça.

[youtube:”http://www.youtube.com/watch?v=C9BcC4G09zk”%5D

Desde então, fiquei pensando a respeito do que eu gostava na infância. Eu assistia muitas animações japonesas, que na época eram febre, tais como Sakura Card Captors, Sailor Moon, etc. Mas isso não tem nada a ver com o Mika, certo? Errado! Percebam que nessas animações os mocinhos da trama sempre são altos, bastante esguios, possuem um olhar bastante expressivo e sorriso simpático. Isso lembra alguém?

Vamos a alguns exemplos de personagens de alguns de meus desenhos favoritos na infância:

Yukito e Touya de Sakura Card Captors

Darien de Sailor Moon:

E por fim, Makoto de El Hazard:

De certa forma, cada um desses é meu príncipe encantado uma vez que, quando criança,  fui fortemente influenciada a me sentir atraída por esse biotipo. Uma vez que  o Mika possui esse mesmo biotipo, foi praticamente amor a primeira vista.

O mais interessante é que sou tachada de esquisita entre as colegas, pois quando o assunto é homem bonito, a preferência quase unânime é pelos musculosos e,às vezes, com aparência rústica. Todas acham estranho meu gosto por homens magros e com feições delicadas. Até hoje, eu nunca soube explicar o motivo dessa minha preferência.

Alguém mais se identificou com essa teoria? Não deixem de comentar. Espero que tenham gostado.

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS.

Beijos.

Entrevista – Fã Clube do Mika no Brasil

Boa noite!

Hoje temos uma entrevista com as criadoras do Mika Fan Club Brasil. Confiram!

MMYH: Para começar, quem são vocês e o que fazem no Mika Fã Clube?

Meu nome é Beatriz Santos e sou moderadora.

Meu nome é Katia Regina, e a Jéssica me convidou para o fã-clube na condição de moderadora.

Me chamo Dalvanice Barros e minha função é ser moderadora do MFCB.

Olá, eu me chamo Jéssica Souza e sou a presidente do MFCB.

MMYH: Como conheceram e se tornaram fãs do Mika?

Beatriz Santos: Ouvi falar dele pela primeira vez em 2007, na MTV (durante o intervalo de algum programa eu acho). Estavam falando um pouco sobre ele e a música ‘’Grace Kelly’’ , enquanto passava um pouco do clipe da mesma. Depois, de vez em quando eu lia alguma notícia ou via um vídeo dele na internet, mas passei a acompanhar mais sobre ele e virar realmente fã em 2010.

Kátia Regina: Música e leitura são paixões pra mim. Assim sendo, sou muito interessada em tudo relacionado a música de todos os tempos, por isso sou muito curiosa com novos artistas. Enfim, foi no final de 2006 na minha conta do Myspace que conheci o Mika. Nessa época ele até adicionava amigos e conversava por lá, etc. Cheguei a elogiar Grace Kelly e principalmente sua voz, lembrei imediato do Freddie Mercury. Porém, foi a partir do início de 2007 com o lançamento do primeiro CD e o clip de GK que fiquei mais e mais curiosa e realmente impressionada com a diversidade musical que ele apresentou. Apesar da comparação geral com o Freddie eu simplesmente não vejo mais ligação com ele, pois o Mika também é único no que ele faz, e se tornou um vício desde então.

Dalvanice Barros: Conheci o Mika através da internet e por causa de seu talento,carisma e voz não consegui mais deixar de acompanhar sua carreira.

Jéssica Souza: Eu conheci o Mika através de uma propaganda pela TV sobre o seu show no @KOKO. Infelizmente não conssegui ver o show na época, mas a partir desse dia eu procurei sobre a vida dele, músicas, tudo! E me apeguei ao jeito dele de ser, me apeguei as músicas -já conhecia uma mas não sabia que era o Mika que cantava-, me apeguei muito às letras das músicas, o que ele passava através delas, os sentimentos… Mika foi uma grande solução pra uma fase crítica da minha vida!

MMYH: Como e quando surgiu o MFCB?

Jéssica Souza: Eu tive a ideia de fazer um fã clube oficial brasileiro do Mika, visto que não tinha nenhum e também achei interessante e legal a idéia de ficar por dentro das notícias do Mika sem ter que ficar lendo em outras línguas, traduzindo, etc . Sempre quis ler notícias dele na minha língua e imagino que muitos brasileiros fãs dele também. Contatei alguns mikeiros pra me ajudar, e de início fizemos o Mika Fã-Clube Brasil no Twitter no dia 14 de fevereiro de 2012 e no Facebook ele estreou quatro dias depois, dia 18 de fevereiro.

MMYH: Aí vai uma difícil: Qual a sua música preferida e por que?

Beatriz Santos: No momento, Elle Me Dit, é como uma mistura bem alegre e dançante da música do Mika com uma sonoridade eletrônica .

Kátia Regina: Dificil?? eu diria quase impossível (risos)! Mas vou de Love Today que pra mim representa toda a alegria e paixão que o Mika transmite e tem pela sua arte.

Dalvanice Barros: Relax, Take It Easy, por ser tema de abertura de suas apresentações, fica sempre emocionante ouví-la.

Jéssica Souza: Eu amo todas, sem exceção, mas tem sempre aquela preferida, né? A minha é Relax, Take It Easy porque eu o conheci através dessa música!

MMYH: E qual o melhor videoclipe na sua opinião?

Beatriz Santos: We Are Golden

Kátia Regina: Grace Kelly porque é o 1º que vi. Ótima produção apesar de ser quase “caseiro”, a música Grace Kelly sempre vai ser sua primeira referência e sucesso, é divertido, é Mika!

Dalvanice Barros: Grace Kelly.

Jéssica Souza: Relax, Take It Easy (versão nova). Pra mim essa música passa toda a energia que ele tem. Quando a ouço me sinto num show dele, qualquer tristeza some depois de escutar essa música, eu garanto!

MMYH: Quantos membros o fã-clube possui atualmente e de quais estados brasileiros?

MFCB: No twitter, temos atualmente 174 seguidores e 139 pessoas ”curtindo” nossa página no FB, de vários cantos do Brasil e das mais variadas nacionalidades.

MMYH: Como se tornar um membro?

MFCB: Basta ser fã do Mika, curtir e seguir o nosso FC.

MMYH: Em quais mídias sociais o fã-clube atua e qual dá mais resultado?

MFCB: Nosso fã-clube está no Twitter (@MikaFanClubBras) e no FB (Mika Fan Club Brasil). No momento ambas as redes socias têm nos trazido grandes resultados positivos, visto que as duas trabalham em conjunto. Tudo que publicamos em uma, publicamos na outra também.

MMYH: Vocês costumam se reunir pessoalmente com todos os membros? Se sim, qual a frequência e quais as atividades são realizadas?

MFCB: Pessoalmente não. Seria muito bom um encontro ”ao vivo e em cores” entre nós, mas no momento estamos impossibilitados devido à distância, então fazemos pelo FB e pelo Twitter.

MMYH: Tem alguma mensagem para os fãs de Mika que estão lendo esta entrevista?

MFCB: Nós particularmente damos o nosso apoio à mudança geral que o Mika vem fazendo esse ano, seja na música, no visual, etc. Pois sempre é estimulante ver um artista evoluir, e é nisso que o Mika está interessado, na evolução artística. Podemos gostar mais ou até menos dos novos sons e projetos, mas nunca vamos ficar indiferentes à isso. Acho que é isso que um fã deseja – e um artista também -, sempre estar conectado ao seu universo artístico. O talento do Mika é inegável e acompanhar esse processo é um privilégio.

Também gostariamos de agradecer a todos que colaboram conosco e que apreciam o esforço que fazemos para o fã-clube ficar exatamente da maneira que todos esperam. E que continuem torcendo junto conosco para que ele possa vir novamente em breve para o Brasil!

MFCB: Eu já estou na torcida, com toda certeza! Moças, muito obrigada pela entrevista! Espero ter a oportunidade de outro bate papo com vocês em breve!

Créditos e agradeciementos:

Gostaria de agradecer às meninas do MFCB pela participação.

Agradecimentos especiais ao meu namorado Paulo Doidorotto pela edição das questões da entrevista. Ele estuda jornalismo e desenha muito bem, como vocês podem ver. A ilustração do post de hoje foi feita por ele e colorida por mim no GIMP.

Paulo tem um blog sobre quadrinhos, fanzine nacional, games, etc. Visitem: http://blogdoidoworld.blogspot.com.br/

Beijos!